/Amor pela Língua Portuguesa valeu à luso-canandiana Lisa uma bolsa de entrada na universidade

Amor pela Língua Portuguesa valeu à luso-canandiana Lisa uma bolsa de entrada na universidade

Lisa Teixeira Raposo é a vencedora do ‘Portuguese and Luso-Brazilian Studies Entrance Award’ (‘Prémio de Ingresso nos Estudos Portugueses e Luso-Brasileiros’) de 2018/2019.
O galardão é patrocinado pela Academia do Bacalhau de Toronto, presidida por Rui Gomes, um “interlocutor entusiasta para que este prémio se concretizasse” e traduz-se numa bolsa de mil dólares canadianos destinada a estudantes que ingressam na York University (Universidade de York), em Toronto, Canadá, explica Inês Cardoso, professora assistente e docente do Instituto Camões naquela universidade.
Criado no ano letivo de 2016/17 tem por objetivo de apoiar os estudos universitários de um aluno que, pela primeira vez, ingresse na Universidade de York e se matricule no programa ‘Portuguese and Luso-Brazilian Studies’ (‘Estudos Portugueses e Luso-Brasileiros’).
“Este prémio reconhecerá, assim, o estudante de primeiro ano que, inscrito neste programa, se distinga pelos melhores resultados no nível de ensino precedente – para o efeito, considerar-se-à a nota final do ensino secundário – e que manifeste comprovada necessidade financeira”, explica Inês Cardoso no texto de apresentação da bolsa

Amor pela Língua Portuguesa e a cultura

É esta a justificação dada por Lisa Teixeira Raposo, para optar pelo programa ‘Estudos Portugueses e Luso-Brasileiros’ na Universidade de York.
“Eu vivi ouvindo a Língua Portuguesa desde criança, mesmo tendo nascido no Canadá, minha família toda falava em português e eu experênciei a cultura portuguesa em primeira mão enquanto vivi 11 anos nos Açores, em São Miguel”, conta a estudante.
Lisa revela ainda que no regresso ao Canadá sentiu-se “desconectada” com a sua cultura e língua de herança e, desde então, “sabia que tinha de fazer algo que me permitisse continuar a constante experiência de aprendizagem que é Portugal em sua plenitude”.
“Quando eu ouvi falar deste Programa de Estudo através de um amigo, do Grupo Folclórico Pérolas do Atlântico do qual faço parte, fiquei imediatamente intrigada, e simplesmente não consegui parar de pensar no programa”, confessa.
Lisa Raposo é peremtória ao afirmar que o programa ‘Estudos Portugueses e Luso-Brasileiros’ é “perfeito” para si, porque permite-lhe seguir uma carreira profissional que envolve a língua e a cultura portuguesas.
“O que quer dizer que eu poderei alcançar o que sempre sonhei: uma vida repleta da língua e cultura que tenho com muito carinho no meu coração”, sublinha a estudante luso-canadiana que deixa ainda um agradecimento à Academia do Bacalhau de Toronto “pelo patrocínio escolar”.
O programa ‘Estudos Portugueses e Luso-Brasileiros’ foi criado em 2008, então com o nome de ‘Estudos Portugueses’. Apresenta uma vasta oferta de matérias de estudo que se destacam pelo seu caráter interdisciplinar.
“Os recursos tecnológicos são usados para potenciar e auxiliar a aprendizagem dos alunos, cujos percursos são monitorizados de forma personalizada, sempre rentabilizando os seus saberes e reportórios sociolinguísticos”, lê-se na apresentação do programa publicada na página da Universidade de York na internet.
O Programa garante também aos alunos uma vasta oferta de atividades de Educação Experimental não só no campus universitário mas também noutros contextos sociais. Atividades que se traduzem na inserção profissional em empresas que fazem uso da língua portuguesa, em eventos interativos, iniciativas culturais e também na inclusão nas aulas de língua, de voluntários com fluência assinável em português.
“O nosso corpo discente, tal como a própria Universidade, caracteriza-se pela sua enorme diversidade, o que atesta o crescente interesse pela língua”, lê-se ainda na apresentação do programa.
A Academia do Bacalhau de Toronto é uma associação da comunidade portuguesa sem fins lucrativos e uma das inúmeras academias do Bacalhau existentes em várias cidades nos cinco continentes. A primeira Academia do bacalhau foi criada em 1968, em Joanesburgo (África do Sul) numa comunidade portuguesa. Até hoje, as academias mantêm o objetivo solidários que está na sua génese.

Ana Grácio Pinto