/30.º aniversário do Dia da Região Autónoma da Madeira em Durban
Aniversario da ilha da madeira

30.º aniversário do Dia da Região Autónoma da Madeira em Durban

Os membros da Direcção da Representação da Comunidade Madeirense de Durban estão a organizar um festival no domingo dia 30 de Junho, para assinalar o 30° aniversário do início das celebrações do Dia da Região Autónoma da Madeira e das Comunidades Madeirenses, na cidade de Durban. Desde 1989, após a iniciativa, que estas celebrações têm sido comemoradas nas outras cidades da África do Sul.

O Dia da Região Autónoma da Madeira é um evento muito atractivo porque proporciona todas as condições para resultar em animação no seio da comunidade, não só pela variedade das iguarias, mas também por incluir o programa da parte cultural, com muita música e outros eventos. Não faltará a tradicional espetada com carne tenra e suculenta assada cuidadosamente e acompanhada com bolo do caco.

A carne vinha-d’alhos que é um delicioso prato típico da Madeira, assim como os bifes de atum com molho de vilão. Naturalmente que haverá uma série de pratos tradicionais portugueses.

Este evento é um pouco diferente, porque não só envolve a comunidade portuguesa, mas também sul africanos que vivem na província, assim como um misto de culturas. Haverá festa para todos os gostos e diversão para todas as idades e convívio com familiares e amigos.

Inicialmente as celebrações eram feitas num local situado perto do mar, sendo a praia norte decorada com as tradicionais bandeiras de cruz, flores e verduras, recordando os arraiais da Madeira. Ano após ano teimaram, persistiram e conseguiram manter vivo este importante festival, que este ano assinala 30° aniversário, sendo em Durban celebrado no dia 30 de Junho corrente.

O programa começa a partir das 12 horas onde haverá barracas de comes e bebes, música a cargo de Dave Marais e continuará até às 16h30, no salão e esplanada da Associação Portuguesa do KwaZulu Natal.

Na parte da tarde o Rancho Folclórico Regiões de Portugal e da APN exibir-se-á levando a música tradicional à diáspora para que as tradições portuguesas e insulares não sejam esquecidas.

Mais uma vez espera-se a união, harmonia e alegria dos membros da comunidade, jovens e menos jovens, neste convívio que já se encontra enraizado no calendário como um cartaz da cultura madeirense.

Os membros da Direcção tomam esta oportunidade para agradecer aos patrocionadores, voluntários e a todos que estão envolvidos no festival, bem como a comunidade em geral.

Aproveita ainda para desejar a todos um dia excelente de diversão, convidando mais gente a participar nesta festa tradicional.

In «O Século de Joanesburgo»